Governo pede aos guineenses a terem cultura de poupança

O mundo comemora no domingo, 31 de outubro, o Dia Mundial de Poupança.

Neste âmbito, o Ministério das Finanças, através do Comité Nacional de Seguimento da Implementação da Estratégia de Inclusão Financeira, realizou hoje, 29, em Bissau, um seminário de sensibilização sobre a importância de poupança, tendo sido solicitado aos guineenses a terem a cultura de poupança.

Na cerimónia de abertura, o secretário de Estado de Orçamentos, José Carlos Casimiro Varela, exortou os guineenses a terem hábito de fazer poupança financeira.

Os destinatários dessa iniciativa de sensibilização sobre a utilidade de poupança são essencialmente os jovens empreendedores, mulheres que fazem atividades geradoras de rendimento, empresários de pequenas e médias empresas, bem como as populações rurais.

O presidente do Comité Nacional de Seguimento da Implementação da Estratégia de Inclusão Financeira, Mussubá Canté, sublinhou que a educação financeira é fundamental para o progresso social e económico de um país, pois, uma população bem-educada financeiramente, não só saberá gerir melhor seus salários e bens, mas também organizar seus gastos e cuidar do dinheiro.

“O dinheiro precisa de ser usado com um propósito bem definido e planejado, caso contrário, ele será alvo fácil de gastos impulsivos”, disse Canté.

Por seu lado, o presidente da Associação Profissional de Bancos e Estabelecimentos Financeiros, Bilay Diarra, revelou que, entre os Estados membros da União Económica e Monetária Oeste Africana (UEMOA), o Benim é o detentor da maior taxa de inclusão financeira que ascende a 74,5%, seguido doTogo (71,9%), Costa do Marfim (70,4%), Burkina Faso (68%), Senegal (67%), Níger (13,9%) e Guiné-Bissau (9,7%).

Recorde-se que a data foi instituída a 31 de outubro de 1924, durante o primeiro Congresso Internacional de Economia, em Milão, Itália, com o objetivo de incentivar as pessoas a pouparem os seus rendimentos.

Aliu Baldé

About The Author

Deixe um comentário