Guineense Uam Pina evolui na profissão de DJ na Europa

O jovem luso-guineense Uam Soares da Gama de Pina, de 34 anos de idade, está a evoluir-se na Europa como disco-jóquei (DJ) e quer tornar-se um procurador musical. Está neste momento a colaborar com vários grupos da comunidade dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP), com os quais, partilha a cultura musical com o público do espaço lusófono.

DJ Pina, como é chamado no mundo da música, profissionalmente é também um organizador de festas e eventos internacionais.

O gênero musical africano, o zouk, é o mais preferido de Pina, por ser, na sua opinião, o mais vibrante nas pistas de discotecas. 

Uam de Pina disse que a profissão de transmitir a música ao público foi inspirada nos animadores de discotecas, os DJ Mangui e Alberto Sá, os quais admirava e continua a admirar nesse exercício sonoro.

O jovem disse que já atuou em vários festivais internacionais de Kizomba e com a música africana em diversos países da Europa, na Alemanha, na Finlândia, na República Checa, na Dinamarca, entre outros. Enquanto organizador, orientou diversos eventos, nomeadamente a festa dos vermelhos, festival mangolê e outros.

A dança e cultura despertaram Uam Pina a interessar-se pela música e, a partir desses elementos culturais, o jovem decidiu aprofundar o seu conhecimento nessa área, tornando-se atualmente um DJ vulgar na Europa.

Para o DJ, foi mais difícil adaptar-se em Portugal quando saiu da Guiné-Bissau do que de Portugal para Alemanha.

O disco-jóqueilembra que teve infância feliz, reconhecendo que os pais foram determinantes para essa felicidade. “Em casa, eles, obrigavam-me falar apenas o português e isto ajudou bastante na minha integração à sociedade portuguesa, sobretudo nos primeiros anos dos meus estudos em Portugal”.

Na sua perspetiva económica, o jovem disse que se tiver meios para investir na Guiné-Bissau, iria apostar em pintura de automóveis. “Além de ser profissão da minha paixão, a pintura de carros é a área que fiz formação.

DJ Pina afirmou já ter dividido palco com os grandes nomes da música africana, nomeadamente Kaysha, Justino Delgado, Patche di Rima, Mika Mendes, Os Tabanka Djaz, Charbel, Don Kikas, Maio Coopé, Abú, Zito Príncipe de Mundo, Rui Sangara, Malamba Cissé, Silvestre Gomes e Wiga Dog.

Entretanto, Uam de Pina emigrou-se para Portugal em 1998, aos 10 anos de idade, onde prosseguiu com os seus estudos.

“Desde que saí da Guiné nunca voltei, agora decidi vir, porque é a minha terra, e o que há aqui me pertence por toda vida”, sublinhou. 

Acrescentou que está de visita a sua terra natal para ver e reviver a realidade. Reconhece que o país está marcando passos positivos, ao contrário do que imaginava antes de chegar.

O DJ é casado e pai de um filho, vive atualmente na Alemanha e encontra-se neste momento de férias em Bissau.

Texto e foto: Aliu Baldé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *