“Para concretização dos projetos enfrentamos com determinação a luta contra a corrupção e tráfico de droga”

Por ocasição do Ano Novo, o Presidente da República, General Umaro Sissoco Embaló dirigiu uma mensagem à Nação na qual enfatiza a determinação na luta contra a corrupção e a ameaça do tráfico internacional de droga, algumas realizações em 2021, a luta contra a pandemia da covid-19, a restauração da credibilidade da Guiné-Bissau no plano externo, os projetos de desenvolvimento económico ligados ao relançamento do porto de Buba, a interconexão hidroelétrica da OMVG e a infraestruturação de algumas estradas do país, entre outros.
Eis na íntegra a mensagem:

Caros compatriotas,
Fidjus di Guiné,

Quero desejar à todos os guineenses, residentes na nossa terra e no estrangeiro, um Novo Ano de paz, concórdia, saúde e muitas felicidades. Estendo estes meus votos aos cidadãos estrangeiros que escolheram viver e trabalhar na Guiné-Bissau. À todos, desejo que o ano de 2022 seja melhor do que o ano que agora termina.
2021 foi um ano de grandes desafios. Infelizmente, o mundo continua a enfrentar a pandemia da Covid-19 e a perda de milhões de vidas humanas.
A pandemia da COVID-19 que se arrasta há dois anos ainda não foi vencida. Para além da perda de vidas humanas, a pandemia continua a ter um impacto económico e social muito grande.
E esse impacto negativo tem sido contornado com a solidariedade de instituições internacionais, de países amigos e de uma resposta nacional eficaz e organizada.
Quero sublinhar que, numa conjuntura internacional e interna que todos reconhecem ser muito difícil, o Governo foi capaz de pagar regularmente os salários aos servidores do Estado.
Foi capaz de lançar um programa ambicioso de obras públicas, nomeadamente de requalificação de estradas urbanas e reabilitação de pistas rurais com impacto positivo na mobilidade das pessoas, no comércio, na coesão social e territorial do nosso país.

Compatriotas,
Fidjus de Guiné

Tanto na CEDEAO como na UEMOA, o nosso país restaurou plenamente a sua credibilidade e, como Estado-membro, passou a ter uma voz ativa na agenda dessas instituições.
Em 2021 fizemos uma diplomacia ativa ao serviço do desenvolvimento do nosso país.
A Guiné-Bissau conseguiu projetar-se de novo, atraindo as atenções, o interesse e a confiança de importantes parceiros de desenvolvimento.

Para o ano de 2022, contamos com uma vasta carteira de projetos, com financiamentos já assegurados, sobretudo no domínio de infraestruturas físicas, vitais para dinamizar a nossa economia.
O recente relançamento do projeto de Porto de Buba e a instalação das linhas de interconexão sub-regional do grande projeto de energia elétrica da OMVG, abrem novas e boas perspetivas para o nosso desenvolvimento económico e social.
Mas, sabemos que para a concretização destes projetos é preciso enfrentar, com muita determinação, a corrupção e a ameaça que, no nosso país, representa o tráfico internacional de droga.
O novo ambiente institucional - que resultou da reestruturação e nas recentes mudanças no Supremo Tribunal de Justiça, no Ministério Público e no Tribunal de Contas – vai permitir aumentar a eficácia do combate que estamos a desenvolver contra a corrupção e o narcotráfico.
A corrupção tornou-se uma das maiores preocupações dos guineenses o que, por si só é fundamento para que a luta contra esse flagelo seja uma das nossas prioridades. Não vamos de modo algum permitir que a corrupção ponha em causa os alicerces do desenvolvimento da Guiné-Bissau.
Num ano de grandes sucessos que foram alcançados - onde a Guiné-Bissau mais precisava de restaurar a sua imagem – na comunidade internacional, nem todos quiseram acompanhar esta nova dinâmica que, como todos sabem, já não se verificava há décadas.
Ontem, a Guiné-Bissau era desprezada. Hoje, o nosso País
é elogiado por insuspeitos observadores internacionais.
Não ajudou a Guiné-Bissau, por exemplo, a decisão de internacionalizar o chamado “caso do avião Airbus” que, depois, terminou num grande fiasco. E como se isso não bastasse, agarraram-se agora ao Acordo de Gestão e Exploração da Zona Conjunta entre a Guiné-Bissau e o Senegal, com o foco na chamada “questão do petróleo”.
Mas a Guiné-Bissau ainda não perdeu e não perderá um único barril do seu petróleo quando se passar da fase da prospeção para a fase da sua exploração propriamente dita. Vamos saber acautelar devidamente todos os nossos legítimos interesses nacionais. A Guiné-Bissau precisa de unidade nacional e do esforço construtivo de todos os seus filhos. Não precisamos de crises políticas.

Guineenses,

No decurso do ano 2022, vou acompanhar de perto a situação social nas nossas regiões, visitar o interior do país e também os bairros mais desfavorecidos da nossa capital. Vou exercer, mais ainda, a minha magistratura de influência em busca de respostas concretas para as muitas dificuldades que os guineenses enfrentam no seu dia-a-dia.
Pretendo acompanhar de perto a juventude, as mulheres, os atletas e os artistas nos seus projetos, nas suas aspirações. Quero acompanhar, em particular, os jovens empreendedores que nos têm surpreendido positivamente com suas ideias e potencialidades, com seus projetos e suas realizações.
Mas os guineenses devem preparar-se para mudanças que se avizinham. Urge virar de página e trazer uma maior estabilidade, melhor justiça e consolidar paz social no nosso país.
Antes de terminar, quero deixar uma palavra muito especial à nossa seleção nacional de futebol, os “Djurtus”.
A todos os atletas e à equipa técnica desejo os maiores sucessos no CAN 2022, que se vai iniciar brevemente nos Camarões.
Juntos, vamos trabalhar para que o ano de 2022 seja o início de uma nova caminhada para uma Guiné-Bissau sem greves e sem injustiças, com emprego digno, saúde e educação para todos.
 A todas as famílias, os cumprimentos do vosso Chefe de Estado e Presidente de todos os guineenses.

Muito obrigado
Feliz Ano Novo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *