Guiné-Bissau e Senegal defrontam as meias-finais

A seleção sub-17 da Guiné-Bissau está nas meias-finais no torneiro da União das Federações Oeste Africanas (UFOA) onde defronta hoje a congénere senegalesa, enquanto Mali e Mauritânia medem forças ainda hoje, devendo os vencedores disputar a grande final no dia 13.

Os “Djurtinhos” iniciaram bem e a vencer logo na primeira jornada frente a Serra-Leoa por 1-0, mas a segunda ronda foi humilhante para a turma nacional por sofrer a pesada derrota de 5-0 frente à seleção maliana.

Senegal e Mali são as duas seleções que ganharam os seus dois duelos disputados. Os senegaleses venceram os gambianos na primeira jornada por 4-2 e na segunda golearam a Mauritânia por 4-0. Por seu lado, o Mali bateu a Serra-Leoa por 5-0 na primeira rodada e conseguiu o mesmo resultado frente a Guiné-Bissau na segunda jornada.

As seleções da Mauritânia, Serra-Leoa e da Gâmbia são as que ainda não pontuaram no torneio. 

A seleção guineense tem miúdos com talentos e vontade de mostrar o que valem, mas o que se pode notar a fraqueza da equipa tem a ver com a falta do ritmo competitivo do campeonato nacional, agravado ainda mais com a paragem de todas as provas internas desde o ano passado (2020), medida tomada no âmbito da prevenção da pandemia da Covid-19.

O torneio está a decorrer em Thiès, no Senegal, com a participação de seis países no evento, nomeadamente a Guiné-Bissau, Senegal, Gâmbia, Mali, Serra-Leoa e Mauritânia.

Os miúdos comandados pelo treinador Alfa Umaro Baldé (Ciro) têm demonstrados os seus talentos futebolísticos, mas a resistência e as condições físicas têm faltado aos Djurtinhos. 

Antes da irregularidade detetada em termos de idade dos jogadores, as seis seleções participantes estavam divididas em dois grupos: Senegal, Gâmbia e Mauritânia, no grupo-A e Guiné-Bissau, Serra-Leoa e Mali constituíam o grupo-B. Entretanto, os gambianos e os serraleoneses foram excluídos da competição por razoes de idade a mais de 17 anos detetadas nos seus atletas.  

Teste de ressonância magnética

As seleções da Gâmbia e da Serra-Leoa foram desqualificadas do torneio, por terem sido submetidas a um novo teste da ressonância magnética (IRM), orientado pela Confederação Africana de Futebol (CAF).

A CAF ordenou que se fizesse um novo teste de ressonância magnética, no qual, foi detetado que a maioria dos atletas da Gâmbia e da Serra-Leoa tem a idade superior a 17 anos.

Neste sentido, a UFOA decidiu afastar as duas seleções e consequentemente a retirada dos pontos aos países que venceram os jogos diante dessas seleções.

O torneio da UFOA conta agora com a presença de quatro seleções, nomeadamente a Guiné-Bissau, Senegal, Mali e Mauritânia que vão disputar as meias-finais da competição que será realizada no dia 11 de Fevereiro, no estádio Lat Dior, em Thiès.

De recordar que, o novo diretor técnico da Federação de Futebol da Guiné-Bissau, o português Guilherme Farinha, na conferência de imprensa da sua apresentação, na semana passada, afirmou que o país tem potencialidades futebolísticas, por isso, a formação das camadas inferiores e a elevação da qualidade do campeonato nacional são algumas das suas apostas durante a vigência do seu contrato na Guiné-Bissau.

Aliu Baldé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *