Escola de Artes e Oficios de Quelélé lança projeto Balcão de Orientação e Emprego

A Escola de Artes e Oficios de Quelélé pertencente a ONG (AD) procedeu, recentemente, em Bissau, ao lançamento de um novo projeto intitulado “Balcão de Orientação e Emprego” (BOE), iniciado em setembro último e concebido no quadro da parceria com a ONG francesa ESSOR, contando com o apoio financeiro da União Europeia, atraves da Cooperaçao Belga  - ENABEL.

O projeto tem como objetivo apoiar a formação profissional dos jovens e facilitar a sua plena inserção no mercado de trabalho.

Segundo o seu coordenador, Jorge Camilo Handem, o Balcão de Orientação e Emprego gira a volta de três grandes eixos, a saber: primeiro, o Serviço de Orientação para os Cursos. Antes da realização do curso, faz-se a descoberta da vocação profissional dos jovens atraves de cruzamento de informaçães recolhidas numa entrevista aberta e informal com os mesmos sobre as suas aspiraçães de vida, suas potencialidades, seus percursos e a informação prévia da natureza dos cursos ministrados na Escola de Artes e Ofícios de Quelélé, facilitando assim a escolha dos mesmos, inclusive noutros Centros de Formação Profissional; segundo, o Serviço de Inserção Profissional. Durante e após a formaçao, faz-se a aproximaçao entre o Centro de Formação Profissional, as empresas e os jovens através de mecanismos de acesso a estágios práticos, apoio na elaboraçao de cartas de pedido de emprego, elaboraçao de curriculos vitaes, postura correta nas entrevistas para o emprego e inserção direta para o emprego e terceiro, Formação Humana. O projeto insentiva e promove  o espirito de empreendedorismo e postura correta na profissao, leva o jovem a ter um saber estar, bem como a deontologia profissional. O jovem é dado uma formaçao intensiva de três meses com a duraçao de 120 horas letivas onde são ministradas disciplinas como empreendedorismo, socializaçao, normas sociais e a saúde.

O ato do lançamento do projeto contou com as presenças da Janine Barbosa em representante do Ministério da Função Pública, N’Kak Morgado – coordenador do programa FIP da ONG ESSOR e Alberto Gomes - presidente do Instituto Nacional de Formação, em representação do Ministério da Educação.

Para Janine Barbosa, a dignidade do trabalho cria a perspetiva de brilhar e ser reconhecido através do trabalho honesto, garantindo um emprego útil para a sociedade. Barbosa defendeu que “só assim que é possível combater, com sucesso, uma certa desesperança que parece abusar-se da juventude e que é vulgarmente conhecido como o stress da Europa, traduzindo a grande propensão pela emigração em condições degradantes”.

Nesta cerimónia, o diretor do Centro de Formação Profissional da Escola Artes e Ofícios da ONG AD, Jorge Camilo Handem, destacou na ocasião que o projeto assenta em três eixos fundamentais a começar pela orientação nos cursos.

Jorge Handem realçou, entretanto, que se a formação profissional é importante, a inserção dos formados no mercado de trabalho tem também um destaque enorme, acrescentando que nessa perspetiva o BOE vai ter uma vertente fundamental na orientação e apoio aos jovens para conseguirem um serviço decente.

Saliente-se que de 6 de novembro a 1 de dezembro de 2020, frequentaram o Balcão de Orientação e Emprego cerca de 180 pessoas, das quais 57 homens e 123 mulheres. Foram identificadas e cadastradas 27 empresas das quais escolas/jardins, hoteis, restaurantes e algumas empresas de electricidade informal que se encontram nos diferentes bairros da cidade de Bissau, estando previsto, numa segunda fase, a prospeçao de demais empresas. Atualmente, o projeto regista 61 vagas de estágios nas áreas de educação pré-escolar, eletrecidade, eletrónica e culinária.

Bacar Baldé

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *