Governo prevê suspensão de propinas para o próximo ano letivo

O ministro da Educação Nacional e Ensino Superior reuniu-se, em separado, no dia 28 de maio, com a Associação dos Pais e Encarregados da Educação, confederações Estudantis e Rede de Associações Estudantis para apresentar o Plano de Contingência para o Setor Educativo.

O plano prevê a suspensão do pagamento de propinas para o próximo ano letivo nas escolas públicas, enquanto no setor privado projeta-se uma subvenção parcial, apesar de que todos os alunos sejam públicos ou privados merecem os mesmos tratamentos, mas infelizmente não podem beneficiar deste privilégio.

“Os pais e encarregados de educação dos alunos das escolas privadas devem compreender que os seus educandos são iguais aos alunos das escolas públicas, mas o governo está limitado em termos de intervenção direta nas escolas privadas, devido à sua componente comercial”, indicou Ariceni Abdulai Jibrilo Baldé.

O governanteapresentou aos seus interlocutores o plano de contingência para o setor educativo, tendo admitido que o mesmo poderá ser objeto de debate e adoção pelo Conselho de Ministros.

O titular da pasta da Educação e Ensino Superior referenciou os trabalhos em curso para a recuperação de algumas infraestruturas escolares e a realização de uma conferência nacional sobre a educação.

Jibrilo Baldé explicou os seus convidados de que está a desenvolver, em parceria com as secretarias de Estado da Cultura e da Juventude e dos Desportos sobre a necessidade de reativar o Desporto Escolar, criação de uma biblioteca nacional e nas escolas a nível nacional, reformulação do INEP e a construção do Palácio da Cultura.

Ariceni Abdulai Jibrilo Baldé explicou que mesmo com a ameaça da pandemia do coronavírus a sua instituição continua determinada e a funcionar de forma inteligente para a busca de uma resposta eficaz e sólida para melhorar o sistema da educação, nomeadamente problemas dos professores até ao estado das infraestruturas.

Relativamente à Comissão Nacional da Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e a Cultura (UNESCO) e a Organização Islâmica para a Educação, Ciência e Cultura (ISESCO), o ministro disse que as duas organizações serão reestruturadas com vista a tornar mais dinâmicas e vantajosas para o país.

No que concerne à relação de cooperação do Ministério da Educação Nacional e Ensino Superior com a Conferência dos Ministros da Educação dos Estados e Governos da Francofonia (CONFEMEN), anunciou a nomeação de um novo correspondente Nacional, na pessoa de Braima Mané, substituindo no cargo Ibrhaima Diallo, por ter atingido a idade de reforma.

Por: Seco Baldé Vieira

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *